quarta-feira, 21 de novembro de 2012

I Encontro do Curso de Adoção

Olá!!!

Ontem a noite foi o primeiro de quatro encontros do curso de pretendentes a pais (assim a assistente social definiu), a pauta era a parte burocrática da destituição da criança da família biológica.
Não tive dificuldades em compreender a fala da palestrante da noite.

O interessante é que das três assistentes sociais que estavam lá, duas estão enormes de grávidas... Sem comentários...

Vou listar os tópicos que anotei nesta noite e depois vou comentar o que eu penso a respeito (penso muita coisa por sinal rs)

As palestrantes da noite foram as assistentes social Pricila Moreira e Francine Coimbra (ambas grávidas e enormes)

* Para destituir (tirar a criança da família) tem que ser esgotadas todas as alternativas dentro da família estendida (que compreende desde avós a primos de longa distancia...);
* A criança não pode ficar mais que dois anos abrigada (na Casa Lar, nome chique de orfanato);
* A criança é preparada no abrigo para adoção pelos profissionais que lá trabalham (achei isso bem importante...);
* Família substituta pode ser através de: tutela (em caso dos pais que morrem e antes expressam o desejo de quem deve ficar com seus filhos), guarda (que é provisória mas garante direitos de previdência e planos de saúde) e adoção (que é irrevogável, graças a Deus uma boa notícia);
* Lei 12010 instituiu o curso de capacitação para pretendentes (a palestrante infelizmente não disse que ano e nem onde encontro esta lei para descrever melhor);
* Descobri que NÃO ESTOU no cadastro de adoção ainda, mesmo tendo entregue nossos documentos há meses pois não fui capacitada ainda.... (essa doeu...);
* O cadastro de adoção parte do interesse da criança em relação aos pretendentes cadastrados e não o contrário, ou seja, a família que vai receber a criança tem que ser a ideal para a criança e não os pretendentes serem interessados em determinada criança (isto é muito importante);
* As mulheres que não querem seus bebês encontram dificuldades em deixá-los nos hospitais pois esbarram no desconhecimento dos profissionais da saúde no que fazer com a criança, medo dessas mulheres do juiz e promotoria de justiça, vergonha dos parentes, insistência de algumas conselheiras tutelares que as "mães" devem criar seus filhos, mesmo que não os queira ou ame...
* A criança, no futuro, tem o direito garantido pelo Estatuto da Criança e do Adolescente ECA, em obter os autos do processo de destituição e adoção para saber quem são seus pais biológicos e os motivos que levaram a destituição familiar.

Bom, olhando assim parece bastante simples, mas cada ponto deste foi bem explicado, e o que me ficou mais marcado é que quase todas as crianças destituídas são filhas do crack, do alcoolismo, prostituição ou outra coisa do gênero, o que eu já sabia, mas ouvindo elas falarem de bebês com crise de abstinência foi bastante doloroso, pois se eu engravidasse não tomaria nem uma aspirina o que dirá ingerir qualquer substância tóxica ao ponto de deixar o filho "contaminado" com a droga, viciado antes de saber o que é vício...
Outra coisa que me alarmou foi a demora... Tinha um casal que ficou OITO anos na fila... hoje já está com o filho adotado mas para poder sair a adoção definitiva tinham que passar pelo curso (vai entender o Brasil...), eu na hora que ouvi este relato, fiquei tão nervosa, que minha cabeça péssima em qualquer tipo de cálculo teve que recorrer aos dedos para somar a idade que eu teria se ficar OITO anos na fila de espera... Cheguei ao total apavorante de 35 + 8 = 43.........
Minha prima irmã de 36 anos já é avó...... 
Eu com 43 anos vou ser uma mãe com cara de avó!!!!
E quando o filho tiver na adolescência????
SOCORRO!!
Também percebi que haviam muitos casais, mais do que eu esperava, levando em conta os que já são habilitados pelo curso que houve no início do ano, deve ter uns 20 casais na minha frente, e como a minha comarca é pequena, isso vai demorar muito mesmo.
Lá no curso encontrei pessoas que conheço muito e há tempo, como o Beto e a Tati (ela tem endometriose), a Leciane e o Lili (ele tem pouco espermatozoide) e a Léia e o Alan (ela tirou as trompas depois de 2 gravides e 2 abortos espontâneos, inclusive de gêmeos), uma coisa que chamou atenção é que temos muitas coisas em comum, além é claro de não engravidar, quase todos somos professores, com exceção do Alan que é caminhoneiro e do Lili que trabalha com vendas se não me engano.
Logo, deduzi que professores não tem como pagar um tratamento para fertilidade...
Esse caminho não vai ser fácil, nem de saída e nem na chegada, precisamos estar muito bem preparados para o que der e vier, inclusive a demora e as crianças "viciadas"....
Penso que o ser humano, nessas horas, é o ser mais vil que existe na face da Terra...
Vão umas fotos do primeiro dia!
parte do grupo, lá no meio tá o Paulinho de sorrisão aberto!

Nessa foto a Leciane fez uma graça pra mim! Adorei!

O resto do grande grupo

Do fundo para frente, eu, Tati e Beto (casal)

Eu e a Tati de óculos

Eu e a Tati sem óculos kkkkkkkk

Beto e Paulinho

Camara de Vereadores de Santa Rosa do Sul SC

Léia e Alan

Grupo de Sombrio, eu, Tati, Beto, Paulinho, Leciane e Lili, na fila de trás Léia e Alan

Material do curso.


6 comentários:

Cantinho da Marina disse...

Nossa, Jack, é complicado mesmo e demorado!
Mas nada de perder as esperanças... quando vc menos espera, vai chegar o teu filho... ou filha!
Beijos!

Jack Machado da Silva de Aragão disse...

Oi Bibi!
É complicadíssimo... é para nervos fortes hehe
mais eu vou ter paciência, apesar de este não ser um dos meus dons...
Fazer o que... esperar esperar e esperar...

Val disse...

Oi Jack, grata pela visitinha...vim conhecer a tua história....uma guerreira você hein, ter um diagnóstico desse tão jovem.
Eu acredito piamente que com ovodoação você consiga realizar teu sonho, seria importante ir em algum médico de reprodução humana, para pelo menos ter uma consulta, fazer exames.
Tem tantas mulheres que doam óvulos... eu mesma doei com 35anos.
Enfim, para tudo tem jeito...não perca a fé nem a esperança!!!

grande beijo e volte sempre
já estou te seguindo....

Val

Portal de Blogs Teia disse...

Olá.
Seu blog é super legal,parabéns.
Te convido a fazer parte do Portal de Blogs Teia e ter suas postagens divulgadas gratuitamente, se interessar é só nos fazer uma visitinha.
Até mais

Dali disse...

Jack,

girl, se vc tem 20 pessoas na tua frente quer dizer que vai ser muito mais rápido do que vc acha...
eu tinha 150 pessoas na minha frente, estou há 3 anos na fila e esses dias descobri que estou no número 70, ou seja, 80 pessoas adotaram bebês nesses 3 anos e muitas mais estão em período de adaptação com crianças, então a assistente social falu que seria mais rápido. O que, de verdade, me deu bastante ânimo, pois eu percebi que a fila está andando (eu estava achando que tava parada... rsrs) no início dá medo da espera, mas o tempo passa um pouquinho e logo vc já vê que a fila está andando, viu??

Na minha reunião de adoção as duas assistentes sociais também estavam suuuper grávidas e TODAS, todas as pessoas que estavam na reunião (umas 80 pessoas) já tinham filhos!! só eu e um outro casal que não tínhamos nenhum filho e dependíamos exclusivamente do processo... foi muito... sei lá, chocante, perceber isso.
tinham casais lá com 5 filhos! querendo um sexto, ou um quarto filho...
acho que quem não tem filhos deveriam ser priorizados...

Jack, vc é uma grande guerreira e com certeza logo estará com seu baby, viu??

e viu, vi seu comentário de ovodoação: consulte um médico sim, acho que é possível sim vc gerar seu baby assim...vai nascer de vc e isso não vai fazer nem diferença quando o bebê nascer.

beijos mil, boa sorte!!!

Jack Machado da Silva de Aragão disse...

Obrigada Dali e Val pela visita!
Vou pensar objetivamente na ovodoação, eu sei que onde moro isso não existe, vou ter que ir a Porto Alegre ou São Paulo, Curitiba...
Em Florianópolis pelo que sei só pagando, e muito...
Vou dar uma pesquisada!
bjs meninas!